terça-feira, setembro 16, 2008

Madonna em Lisboa - 14 de Setembro


Um dos meus maiores sonhos era ver a Madonna bem de perto até conseguir reconhecer os músculos das nádegas dela! Não sendo esse objectivo algo de fácil a conseguir-se, a única possibilidade seria num concerto ao vivo. Madonna vinha a Lisboa e eu tinha um bilhete para o concerto! O único obstáculo eram as outras 74.999 pessoas que também tinham comprado um bilhete... Coisa pouca, não é assim? Ora, sendo eu um homem que quando quer algo faz de tudo para consegui-lo, quando tal tem esse merecimento, aceitei o desafio de um amigo e partimos com dois sacos cama e uma tenda! Nenhum de nós é adepto do campismo, mas a diva valia esse sacrifício. E, depois, fumando um charro a noite até se tornava mais tolerável! Bebidas alcoólicas é que não, pois uma ressaca não seria nada agradável no dia seguinte!

Um grupo de espanhóis madrilenos estava à nossa frente na fila e optaram pelas duas coisas: bebidas e charros! Fizeram a festa e com isso não deixaram ninguém dormir, principalmente os vizinhos! Estavam a adorar ser o centro das atenções, com conversas banais, gargalhadas exageradas e passagens de modelos! Quantas vezes terei escutado o refrão do último hit de Madonna: Give it to me! E é conhecido o jeitinho que os espanhóis têm para falar inglês... Enfim! Entretanto, dentro da tenda, adormecer era coisa que não se avistava! Não havia espaço para esticar as pernas e foi necessária alguma originalidade para arranjar posições minimamente confortáveis e procurar descansar para estar em forma no dia seguinte que se sugeria bastante longo...

Descalcei-me e o fedor foi de tal modo intenso, que o Nelson quase vomitou! Esqueci-me de usar creme e o dia foi de algumas caminhadas longas em Lisboa... Até a mim me incomodou, mas o meu companheiro desta aventura sugeriu que os ténis ficassem fora da tenda no saco que tinha os invólucros das sandes (o saco do lixo). Não pude contrariá-lo, pois os pés não cheiravam melhor e não havia como lavá-los...

Enfim adormeci, vencido pelo cansaço, e a ouvir algumas das minhas músicas preferidas da Madonna. Acordei a transpirar dentro do saco cama algumas vezes, o que foi verdadeiramente desagradável, com o inconveniente de não conseguir esticar as pernas! Que merda!

Durante o dia, foi ter de suportar o calor infernal que se fez sentir! Por que o tempo não está assim quando quero ir à praia? Um verdadeiro sol abrasador tornou a causa ainda mais nobre e proporcionou considerações interessantes sobre a Madonna! Sim, deu para conhecer algumas pessoas, mas a maioria, à primeira vista, não parecia ter qualquer interesse.

Após a visita dos canais de televisão que quiseram falar com os loucos corajosos que dormiram ao relento para assistir ao concerto da maior estrela Pop feminina, foi-nos dito que aparecemos no Jornal da Tarde do Canal 1! A mãe do Nelson, testemunha de Jeová, foi uma das pessoas que ligou para dizer no final do telefonema que não compreendia o sacrifício do filho para ver uma porca! A liberdade de expressão é um valor que muito prezo...

A meio da tarde os ânimos exaltaram-se e o grupo dos primeiros a chegarem ao Parque da Belavista começou a assobiar para a organização, quando nos foi dito que iriamos entrar ao mesmo tempo que as outras pessoas da segunda fila para a entrada na direcção oposta! Foi, de facto, uma falha muito grave por parte da organização que chocou pessoas de outras nacionalidades, nomeadamente australianos, espanhóis e britânicos... "Isto sõ em Portugal!" - gritei eu com a esperança de ser ouvido por alguém do staff, que primou pela antipatia e desumanidade...

Chegado o grande momento da abertura das portas, precisamente quando chegava a minha vez, mandaram parar as entradas no recinto e ao longe só se via as pessoas da outra fila a entrarem às dezenas! Foi um momento de grande stresse e de gritos de protesto! Não imaginam como ficam as pessoas para ver a Madonna... só estando lá... Quando enfim permitiramn que passássemos, desatei a correr que nem um louco! Qual Haile Gebrselassie! Se estivesse em competição, teria ficado com a medalha de ouro! Nas graças divinas, consegui um lugar na primeira fila, no lado direito do palco!

Após esperar ansiosamente pelo espectáculo, e ter ido urinar pela primeira vez nesse dia, passei duas das horas mais felizes da minha vida!

Vi a Madonna tão perto de mim, que nem queria acreditar! Estava linda e não me pareceu tão magra como nas revistas! Estava perfeita e desempenhou o seu papel na perfeição, pelo menos que eu tivesse visto! Curiosamente, não me dei conta de dois cavalos no palco, tal como a imprensa anunciara.

Não tirei muitas fotos, pois o meu objectivo era olhar para ela sem ter essa preocupação! E devo dizer que aproveitei ao máximo! Saltei e dancei durante quase todo o concerto! Quando acabou senti-me aliviado, pois já estava exaustíssimo! O espectáculo teve a duração certa! Absolutamente fantástico!

Lembro-me de saltar imenso para captar a atenção de Madonna, quando ela olhou para mim, gritei duas vezes "Love You!"! O "I", com os nervos, não saiu! Pareceu-me tê-la visto a rir-se com os olhos... Já sabe que existo! Eh! Eh! Eh! O fã do chapeú branco - será assim que se lembrará de mim! Assim o espero, e quero acreditar nisso!

I LOVE YOU FOREVER MADONNA!

2 comentários:

fickle_temper disse...

Oi Bruno,

fartei-me de rir com este teu post... muito giro. Consegui sentir toda a tua emoção.

Tb fui ao concerto mas não o vi como tu. Nem gostei muito sequer. Já tinha visto o re-invention tour e ai sim, senti a magia toda. Vê lá tu que achei-a muito magra, mais magra que no ecrân. Está visto que foi pela distância a que a via...

Bruno Carvalho disse...

Realmente ela parece estar muito magra, mas a estrutura muscular está lá toda!

Na Re-Invention Tour não estive perto do palco, logo não senti "a magia toda" e gostei muuuuuuuuiitttoo mais deste! De facto, faz toda a diferença estar perto da Madonna! Ela tem qualquer coisa que consegue mover-nos e deixar-nos completamente deslumbrados! O Guy não sabe a sorte que tem e tenho a teoria que este Show está cheio de mensagens para ele... Ele que abra os olhos, enquanto é tempo...