quarta-feira, agosto 03, 2011

Instituto Ibérico de Línguas


Cursos de português e de espanhol para estrangeiros

É com muita felicidade e orgulho que vos informo do projeto no qual decidi investir apesar do momento difícil que passamos. Não podemos perder a esperança e Portugal precisa de pessoas empreendedoras!

Venho assim pedir-vos que conheçam a minha aposta e o favor de clicarem em "gosto" na página do Instituto Ibérico de Línguas - uma escola de português e de espanhol como línguas estrangeiras.

http://www.facebook.com/pages/Instituto-Ibérico-de-Línguas/205554552820048



Ajudem a divulgar! Obrigadíssimo! E não deixem de me fazer uma visita na Rua Eça de Queiroz em Lisboa!

O meu sincero obrigado,

Bruno Carvalho

http://www.institutoibericodelinguas.com

quinta-feira, abril 29, 2010

Pieguices e mediocridades!


Revi a mini-série Os Maias, produzida pela Rede Globo, pela terceira vez. Ou antes, duas e meia. Eu explico! A primeira vez que tive o delicioso prazer de assistir a alguns episódios foi quando foi exibida na SIC. Seria 2004? Talvez… Como estava a estagiar no Centro Lúdico de Rio de Mouro, tinha que programar um vídeo, pois passava no período da tarde.


Só eu sei os nervos que passei por ficar diversas vezes com os episódios cortados, pois a SIC mudava o horário despoticamente. Nem mesmo com grandes margens de tempo nas programações fui bem sucedido!

Só quem conhece esta série sabe a importância de cada cena, a magnitude dos diálogos e o fascínio que o enredo exerce. Perder uma cena que seja deixa-nos na maior frustração e irritação, que já conheci até hoje!

Apenas no ano passado tive a possibilidade de maravilhar-me com todos os episódios na íntegra. Não conseguem sequer supor o meu grau de satisfação. Superior a uma boa sessão de sexo. Indubitavelmente! Nos episódios finais cheguei às lágrimas! Uma coisa tão rara, como encontrar uma nota de 50 euros no chão!


Fica-me uma dúvida em relação a Eça de Queirós. Descreveria ele a sociedade do seu tempo, com um olhar crítico, no que diz respeito à repressão sofrida pelas mulheres? Ou, num tom moralista e conservador, aconselhava-as a não abandonarem os maridos movidas por uma insensata paixão? Pois terminariam em desgraça, arrastando consigo o destino dos seus filhos… Quantas protagonistas deste género de romances terão escapado ao suicídio ou a um medonho e punidor destino?


O valor da família não deixa de ser fortíssimo e de provocar um tal impacto que nos deixa querer ser por alguns instantes hipócritas. Afinal, a pieguice aproxima-se da mediocridade! É um assunto que nos faz pensar o bastante de modo a não chegarmos a conclusão alguma e ficarmos ainda mais confusos.

Até que ponto reside a nossa felicidade no amor e não naqueles que nos rodeiam? Que sentimento supostamente sublime é este que nos faz perder a noção do que é a realidade? A mesma realidade que tanto inspirou escritores de todo o mundo civilizado na segunda metade do século XIX. Ficção ou realismo?

segunda-feira, outubro 19, 2009

Amália Rodruigues



No dia 6 de Outubro, deste ano, fez dez anos que Amália Rodrigues foi encontrada morta por uma empregada, de manhã. Apesar de ainda não ter falado sobre este assunto aqui no netcafé, não quero deixar de o fazer. E isto também a propósito de ter encontrado um Canal no Youtube de uma senhora brasileira, de seu nome Regina Azevedo, que tem disponibilizado verdadeiras pérolas da nossa grande senhora da música, e única, Amália Rodrigues. Tem tantos vídeos inéditos que desconhecia, que foi difícil optar por um. Como tal, apesar da sugestão, recomendo que visitem o canal, neste endereço http://www.youtube.com/user/rginaazevedo, e inscrevam-se!

A minha escolha acabou por ser mais sonora, e optei por duas canções brasileiras: Coroa do Rei (eheheheh) e Luar, Luar! Deliciem-se!

terça-feira, julho 07, 2009

Kylie Minogue em Lisboa


Vou tentar relembrar alguns pormenores da minha aventura no concerto da belíssima Kylie Minogue, no passado dia 4 de Julho, no Pavilhão Atlântico.

Cheguei perto do recinto, antes do almoço, para investigar se estariam por lá muitos fãs da cantora australiana. Nem foi preciso aproximar-me demasiado, pois não avistei nenhuma fila (ao contrário do concerto da Madonna em 2004 no mesmo local). Fui almoçar descansado, vi as promoções em algumas lojas do Vasco da Gama (mas controlei todos os meus instintos consumistas e não comprei nada) e só perto das 15 horas é que me dirigi para uma das entradas do Pavilhão Atlântico. Já se encontravam por lá alguns grupos de fãs, deveriam ser cerca de 30 pessoas.

Pouco depois, aparecerem uns seguranças a indicar que deveriam ser feitas duas filas numa entrada que ficava mais em baixo. Não é preciso dizer que essa mudança gerou uma enorme confusão entre algumas pessoas, que afirmaram peremptoriamente que haviam chegado primeiro. Os ânimos estiveram algo exaltados, mas o certo é que ninguém saiu do lugar onde estava. Um grupo saiu de imediato da fila, pois queriam reclamar perante a organização. Achei todo esse conflito algo despropositado, pois éramos tão poucos que certamente iríamos todos ficar em frente ao palco, mas outros não pensaram assim e lá foram exaltadíssimos protestar. Uma fanática da Kylie ainda continuou a discutir com um grupo que estava na fila à frente dela, dizendo que havia chegado primeiro! Todo este episódio animou um pouco a tarde que estava por demais quente e lenta. O tempo não passava e o local ideal para se estar era na praia. Pouco depois apareceu o tal grupo que tinha ido protestar, sem sucesso, mas com a escandalosa informação de que só tinham sido vendidos 3.000 bilhetes e que por esse motivo o palco tinha sido colocado no meio do Pavilhão Atlântico. O que mais se ouviu nessa altura foi: Coitada da Kylie!

Fiquei abalado com a notícia e compreendi o porquê de estarem tão poucas pessoas na fila (não seriam mais de 50). O tempo não passava e eu já não encontrava posição no chão, começando o doer-me o rabo. De qualquer modo, não estava arrependido de estar a viver todos os acontecimentos do primeiro concerto da Kylie em Portugal.

As portas abriram finalmente pouco antes da 20 horas. A segurança não fez qualquer revista à procura de armas ou afins (ao contrário do concerto da Madonna, onde a segurança foi apertadíssima, ao ponto de sermos todos apalpados e as malas/mochilas todas reviradas e vasculhdas). Se houvesse algum doido que quisesse matar a diva, tinha o caminho aberto! No mínimo chocante! Achei um desprezo total pela artista por parte da organização! Enfim... Resultado: não faltaram máquinas fotográficas e de filmar para registar todo o concerto. Eu não levei, pensando que não fosse permitido. A foto que acompanha este meu texto retirei do sítio do Jornal Sol.

Foi precisamente assim que Kylie se apresentou perante 4.000 pessoas (número que não consegui confirmar). Com um sensual fato branco lembrando a glamorosa diva do Disco Amanda Lear!



Não sei se foi por a casa não estar esgotada e por haver a ideia geral de Coitada da Kylie!, mas o certo é que foi muitíssimo bem recebida! Caso para se dizer: poucos mas bons! Os gritos histéricos de Kylie! Kylie! Kylie! foram uma constante durante o espectáculo, assim como os aplausos e braços no ar. Recordo-me de olhar para as bancadas e de ver várias pessoas de pé a dançar! Creio que a maioria das pessoas se terá divertido, mais não fosse para tentar deixar uma boa impressão em uma das princesas da POP.

O concerto estava muito fraco quanto a adereços e encenação, não se comparando à bem sucedida X Tour! Talvez por isso tenha sido um concerto mais intimista e, sinceramente, mais adequado numa sala de espectáculos mais pequena...

Se gostei do concerto? Adorei ter visto a Kylie tão de perto (estava na segunda fila e não me pareceu uma anã, apesar de ter apenas 1.52cm), é, indubitavelmente, uma das mulheres mais sensuais que já vi até hoje (mais do que a Madonna) e creio que a Ana Malhoa, se quer ser sexy, deveria aprender muito com ela. Gritei, pulei, cantei refrões, enfim, deixei-me seduzir pela loura australiana! Diverti-me imenso! Não estou nada arrependido de ter ido, só poderia estar se tivesse optado por fazer parte daqueles que preferiram ficar em casa! A Kylie não se mexe tanto em palco como a Madonna, mas tem uma presença muito agradável e cantou sem recorrer a gravações prévias (como a Britney Spears faz)... Ainda disse umas palavras em Português: Está tudo bem? e Obrigada! Teve atitudes muito simpáticas (contrastando com a Rainha da POP, que é um pouco mais altiva)...

Kylie, tens que regressar a Portugal!!!

quarta-feira, dezembro 03, 2008

terça-feira, setembro 16, 2008

Madonna em Lisboa - 14 de Setembro


Um dos meus maiores sonhos era ver a Madonna bem de perto até conseguir reconhecer os músculos das nádegas dela! Não sendo esse objectivo algo de fácil a conseguir-se, a única possibilidade seria num concerto ao vivo. Madonna vinha a Lisboa e eu tinha um bilhete para o concerto! O único obstáculo eram as outras 74.999 pessoas que também tinham comprado um bilhete... Coisa pouca, não é assim? Ora, sendo eu um homem que quando quer algo faz de tudo para consegui-lo, quando tal tem esse merecimento, aceitei o desafio de um amigo e partimos com dois sacos cama e uma tenda! Nenhum de nós é adepto do campismo, mas a diva valia esse sacrifício. E, depois, fumando um charro a noite até se tornava mais tolerável! Bebidas alcoólicas é que não, pois uma ressaca não seria nada agradável no dia seguinte!

Um grupo de espanhóis madrilenos estava à nossa frente na fila e optaram pelas duas coisas: bebidas e charros! Fizeram a festa e com isso não deixaram ninguém dormir, principalmente os vizinhos! Estavam a adorar ser o centro das atenções, com conversas banais, gargalhadas exageradas e passagens de modelos! Quantas vezes terei escutado o refrão do último hit de Madonna: Give it to me! E é conhecido o jeitinho que os espanhóis têm para falar inglês... Enfim! Entretanto, dentro da tenda, adormecer era coisa que não se avistava! Não havia espaço para esticar as pernas e foi necessária alguma originalidade para arranjar posições minimamente confortáveis e procurar descansar para estar em forma no dia seguinte que se sugeria bastante longo...

Descalcei-me e o fedor foi de tal modo intenso, que o Nelson quase vomitou! Esqueci-me de usar creme e o dia foi de algumas caminhadas longas em Lisboa... Até a mim me incomodou, mas o meu companheiro desta aventura sugeriu que os ténis ficassem fora da tenda no saco que tinha os invólucros das sandes (o saco do lixo). Não pude contrariá-lo, pois os pés não cheiravam melhor e não havia como lavá-los...

Enfim adormeci, vencido pelo cansaço, e a ouvir algumas das minhas músicas preferidas da Madonna. Acordei a transpirar dentro do saco cama algumas vezes, o que foi verdadeiramente desagradável, com o inconveniente de não conseguir esticar as pernas! Que merda!

Durante o dia, foi ter de suportar o calor infernal que se fez sentir! Por que o tempo não está assim quando quero ir à praia? Um verdadeiro sol abrasador tornou a causa ainda mais nobre e proporcionou considerações interessantes sobre a Madonna! Sim, deu para conhecer algumas pessoas, mas a maioria, à primeira vista, não parecia ter qualquer interesse.

Após a visita dos canais de televisão que quiseram falar com os loucos corajosos que dormiram ao relento para assistir ao concerto da maior estrela Pop feminina, foi-nos dito que aparecemos no Jornal da Tarde do Canal 1! A mãe do Nelson, testemunha de Jeová, foi uma das pessoas que ligou para dizer no final do telefonema que não compreendia o sacrifício do filho para ver uma porca! A liberdade de expressão é um valor que muito prezo...

A meio da tarde os ânimos exaltaram-se e o grupo dos primeiros a chegarem ao Parque da Belavista começou a assobiar para a organização, quando nos foi dito que iriamos entrar ao mesmo tempo que as outras pessoas da segunda fila para a entrada na direcção oposta! Foi, de facto, uma falha muito grave por parte da organização que chocou pessoas de outras nacionalidades, nomeadamente australianos, espanhóis e britânicos... "Isto sõ em Portugal!" - gritei eu com a esperança de ser ouvido por alguém do staff, que primou pela antipatia e desumanidade...

Chegado o grande momento da abertura das portas, precisamente quando chegava a minha vez, mandaram parar as entradas no recinto e ao longe só se via as pessoas da outra fila a entrarem às dezenas! Foi um momento de grande stresse e de gritos de protesto! Não imaginam como ficam as pessoas para ver a Madonna... só estando lá... Quando enfim permitiramn que passássemos, desatei a correr que nem um louco! Qual Haile Gebrselassie! Se estivesse em competição, teria ficado com a medalha de ouro! Nas graças divinas, consegui um lugar na primeira fila, no lado direito do palco!

Após esperar ansiosamente pelo espectáculo, e ter ido urinar pela primeira vez nesse dia, passei duas das horas mais felizes da minha vida!

Vi a Madonna tão perto de mim, que nem queria acreditar! Estava linda e não me pareceu tão magra como nas revistas! Estava perfeita e desempenhou o seu papel na perfeição, pelo menos que eu tivesse visto! Curiosamente, não me dei conta de dois cavalos no palco, tal como a imprensa anunciara.

Não tirei muitas fotos, pois o meu objectivo era olhar para ela sem ter essa preocupação! E devo dizer que aproveitei ao máximo! Saltei e dancei durante quase todo o concerto! Quando acabou senti-me aliviado, pois já estava exaustíssimo! O espectáculo teve a duração certa! Absolutamente fantástico!

Lembro-me de saltar imenso para captar a atenção de Madonna, quando ela olhou para mim, gritei duas vezes "Love You!"! O "I", com os nervos, não saiu! Pareceu-me tê-la visto a rir-se com os olhos... Já sabe que existo! Eh! Eh! Eh! O fã do chapeú branco - será assim que se lembrará de mim! Assim o espero, e quero acreditar nisso!

I LOVE YOU FOREVER MADONNA!

terça-feira, agosto 26, 2008